Sobre

“Não porque o disse, os outros aprenderam”

Vamos lá… já lho disse!

Não é pelo facto de vos ter dito, que irão aprender alguma coisa acerca do que eu escreva ou visualizem neste blog, mas desejo profundamente passar um tempo com todos vós e interagir enquanto vos vou contando a história de Jesus na minha própria vida. Claro que isto teve várias etapas desde o dia em que O conheci, passando por sérias dúvidas acerca d’Ele e da Sua existência, até chegar a um total convencimento e ao ponto do desejo apaixonado de falar da Sua vida para que outros O conheçam,

Nasci a 7 de maio de 1970 numa bonita cidade da província de Buenos Aires, Pergamino… a Pérola do Norte, uma terra de colonos italianos, sírio-libaneses e espanhóis, próspera e propícia para agricultores e criadores de gado.

À medida que ia crescendo com o meu irmão Marcelo numa família de costumes católicos e formas italianas, chegou o dia D em que, aos 14 anos, fomos convidados a participar num acampamento de verão da Palavra da Vida em San Miguel del Monte, onde passei algo que jamais me deixaria e pelo qual vivo hoje convictamente todos os dias da minha vida… a 8 de janeiro de 1984 conheci a Jesus como meu Salvador pessoal, ao entender que o Seu perdão e vida eram para sempre. Pela primeira vez escutaria uma verdade absoluta que desarmaria por completo a minha rebeldia e a minha loucura: “JESUS AMA-TE”, foram as palavras do pregador!

O tempo voa…

Em 2001, com a minha amada esposa Nancy, que conheci na minha igreja local tendo servido juntos por muitos anos, fomos comissionados para servir a juventude portuguesa com a Palavra da Vida. Depois de 10 anos maravilhosos, e obedecendo à chamada de Deus, em agosto de 2010, mudámo-nos para Barcelona para assumir a direção do ministério juvenil da Palavra da Vida Espanha.

Somos mais…

Não vinham, mas chegaram rapidamente para completarem a nossa vida e dar-nos um valor, que não se pode explicar, até nos chamarem pela primeira vez “Papá”! Atualmente temos três filhos preciosos: a Noemi de 14 anos, nascida em Portugal, o Estêvão de 11 anos, nascido em Nova Iorque, EUA e, por último, encerrando a fábrica, a Isabella de 9 anos, nascida em Portugal.

Agora cabe-me a mim aprender, também lho tinha mencionado…

Qual é a minha intenção neste blog?… é que em “GOSPELIZANDO” façamos perguntas em relação à necessidade de alcançarmos a nossa geração com JESUS… Que ingredientes estou a utilizar? Porque é que o que utilizo não tempera? Porque não vejo mudanças? Serão os corretos? É assim tão difícil fazer discípulos? Convenhamos numa coisa mais, é que para responder a estas perguntas será muito importante fazê-las com critério e sentido bíblico.

O que te oferece este blog?… Artigos atuais, testemunhos de vida, livros para a liderança juvenil, experiências baseadas na frustração e aprendizagem pessoal durante 27 anos de ministério com jovens e sobretudo a necessidade de abrir o meu coração para lhe dizer uma e outra vez… que fazê-lo mal também faz parte do processo. Uma pergunta que deveríamos fazer a nós mesmos antes de mergulharmos nesta honrada e preciosa tarefa de “alcançar a juventude com o evangelho de Cristo” é: Porque perdemos a nossa autoridade em relação a esta geração? Cremos profundamente que temos pesado na balança da vida ministerial a velocidade como algo mais importante do que a direção e temos esquecido que o discipulado é: Levar cada geração, que experimenta mudanças constantes, através do processo de Deus, com verdades permanentes. (Palavra da Vida – Declaração do Ministério Com Igrejas Locais). Em todos estos anos servindo a juventude em diferentes países, fazemos a nós mesmos uma pergunta em cada contexto que me coube viver: Conheço-os realmente? Sei quem são ou aplico a “norma” que me tem sido ensinada por antigas gerações de servos de Deus?

Muitas vezes perdemos de vista a realidade de que as diferentes gerações vão mudando formas de pensar e estilos de vida com a tecnologia, a moda, as novas tendências pedagógicas mais liberais e outras situações; isto leva à mudança dos padrões da moral da nossa sociedade. Não estamos a falar de mudar princípios bíblicos, mas sim de conhecer “o mercado” ao qual fomos chamados a servir e, a partir desse conhecimento prático, exercer o pastorado de uma maneira próxima e prática a mentes em constante fragmentação.

Podemos suprir as necessidades desta geração com a influência da Palavra de Deus, exposta e expressa a partir do bom testemunho que damos acerca do nosso Senhor Jesus Cristo com a nossa conduta.

Lembre-se que a “dimensão da sua liderança” não radica no que diz hoje, mas sim, na

Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idóneos para também ensinarem os outros. 2 Timóteo 2:1-2